Joinville se transforma na capital da logística

Joinville se transforma na capital da logística

A Logistique – Feira e Congresso de Negócios Multimodais acontece de 27 a 29 de agosto, no Complexo de Exposições Expoville, e vai unir as cadeias de logística, transporte multimodal, comércio exterior e intralogística em um só local, transformando a cidade na capital nacional da logística 

“Joinville é um polo logístico importante porque o município possui acesso rodoviário duplicado, aeroporto, está muito próximo a quatro grandes terminais portuários e também é reconhecida mundialmente pela liderança de algumas das suas empresas, especialmente nos setores de metalurgia, metal mecânico e plásticos”, diz o presidente da Associação Empresarial de Itajaí (ACIJ), João Joaquim Martinelli. Nesse contexto, o dirigente destaca a importância da realização da Logistique – Feira e Congresso de Negócios Multimodais, de 27 a 29 de agosto, no Complexo de Exposições Expoville, em Joinville. Por três dias o evento vai unir as cadeias de logística, transporte multimodal, comércio exterior e intralogística em um só local, transformando Joinville na capital nacional da logística.

“A feira fortalece as relações comerciais, gera negócios e o intercâmbio de informações. Reúne empresários dos setores portuário, navegação, comércio exterior, transporte multimodal, logística e tecnologia, o que é muito positivo para Joinville”, afirma Martinelli. O executivo acrescenta ainda que Joinville tem diferenciais que favorecem o crescimento da atividade logística na cidade e região. 

Entre os pontos elencados por Martinelli estão o acesso fácil as BRs 101 e 280, aos portos de São Francisco do Sul, Itapoá, Itajaí e Navegantes, e o fato do aeroporto de Joinville apresentar hoje a possibilidade de grandes investimentos na área de logística, inclusive, com um terminal específico para transporte de cargas. “Joinville tem ainda uma ferrovia que passa pela cidade e a Baia da Babitonga, onde existe a possibilidade de desenvolver a navegação de cabotagem.” 

No entanto, o setor logístico ainda apresenta deficiências que podem ser minimizadas com investimentos pontuais. “Precisamos melhorar a infraestrutura, sobretudo a rodoviária”, diz Martinelli, salientando que um dos casos é a BR 101 que está sobrecarregada. A Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) possui um estudo no qual consta a necessidade de investimentos de R$ 2,6 bilhões para aumento da capacidade de tráfego. 

“Temos também que vencer os entraves para o avanço das obras da BR 280, isso passa desde a segurança dos valores da obra, como soluções complexas como o Canal do Linguado. Essa via é fundamental para o escoamento da produção pelo porto de São Francisco do Sul”, pontua. No aspecto ferroviário, segundo o dirigente, o modal é pouco usado na logística industrial, pois atende mais ao setor graneleiro. “Mas passa por dentro da cidade e interliga o litoral com o Planalto Norte. No entanto, temos pouco conhecimento sobre essa modalidade de transporte e não a usamos de forma adequada.” A proximidade de Joinville com o mar, segundo Martinelli, também abre possibilidade para maior uso do transporte de cabotagem, “mas carece de estudos e investimentos”. 

É nesse contexto que a Logistique- Feira e Congresso de Negócios Multimodais ganha força como um importante fórum de logística como um todo. “É um espaço de inovação, troca de conhecimento, geração de negócios e um momento para compreender para onde o mundo caminha neste setor, pois teremos no evento grandes autoridades da área logística no país.” Para as grandes empresas, diz o executivo, a Logistique é um espaço para compreender como melhorar suas logísticas internas, onde as grandes plantas industriais requerem planejamento para deslocamento da produção. “A feira também fortalece e contribui com a internacionalização das empresas, neste ano com o diferencial de ter a primeira Rodada Internacional de Negócios, com organização do Núcleo de Negócios Internacionais da Associação Empresarial de Joinville (ACIJ).”